Você está aqui: Página Inicial > Informações > Manutenção > Não Programada > Normalização do funcionamento do satélite de referência (MODIS/Aqua)
conteúdo

Normalização do funcionamento do satélite de referência (MODIS/Aqua)

banner_normalizacao_sat_ref_apenas_titulo.gif

Programa Queimadas/INPE, São José dos Campos.

Atualização em 03 de setembro de 2020:

A indisponibilidade global de dados do sensor MODIS do satélite Aqua a partir de domingo, 16 de agosto de 2020, foi causada por uma anomalia nos equipamentos de gravação de dados de bordo do satélite, conforme relatado pela NASA. Essa anomalia corrompia parte dos dados do gravador, porém não afetava a transmissão em tempo real e, por isso, o INPE foi capaz de manter a aquisição e processamento dos sinais do Aqua em seus centros de recepção.

Na quarta-feira, 02 de setembro de 2020, das 17h00 às 22h00 UTC (das 14h00 às 19h00 horário de Brasília), a NASA realizou com sucesso o procedimento de reinicialização dos equipamentos com problema a bordo do Aqua. Durante esta janela de manutenção, a transmissão do sinal do satélite foi interrompida, causando falta de dados, inclusive nos centros de recepção do INPE. Como consequência, as páginas de situação atual, de estatísticas de países e de estados, além do BDQueimadas, ficaram sem informações do satélite de referência neste dia.

Na quarta-feira, 03 de setembro de 2020, o INPE retomou o uso de dados globais do sensor MODIS do Aqua, normalizando o monitoramento de queimadas feito pelo satélite de referência para todo o Brasil e demais países.

Cabe ressaltar que o número de focos de queima de vegetação detectados pelo satélite de referência para o período de 16 de agosto de 2020 a 02 de setembro de 2020 reflete os dados obtidos nos centros de recepção do INPE e, portanto, subestimando em pequena escala o número de detecções na região norte do Brasil. A NASA está trabalhando na tentativa de recuperação dos dados globais deste período e, no caso de sucesso, o INPE atualizará as informações em seu banco de dados.

 


 

Texto original de 19 de agosto de 2020:

No domingo, 16 de agosto de 2020, apresentou problemas o satélite Aqua, da NASA, cujos dados são utilizados pelo Programa Queimadas do INPE como indicador de referência da quantidade de focos de queima de vegetação. Por isso, nesse dia, não foi possível o monitoramento completo do Brasil.

A situação independe do INPE e decorre de dificuldades técnicas do Aqua. A NASA informou que a geração desses dados para todo o globo está prejudicada e suspendeu sua publicação nas plataformas Worldview e FIRMS.

Isso impede a aquisição de dados do satélite Aqua para locais fora da área de cobertura das antenas dos centros de recepção. No caso do INPE, que tem antenas em Cachoeira Paulista, SP e Cuiabá, MT, a cobertura do monitoramento pode ser prejudicada em porções do Brasil mais ao norte (Amapá e Roraima) e a noroeste (Rondônia, Acre e norte do Amazonas), porém permanece normal nas demais regiões (cobrindo Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal por completo e grande parte da Amazônia).

Neste contexto, o número de focos do satélite de referência que aparece nas páginas de situação atual, de estatísticas de estados e de países e no BDQueimadas pode ser afetado temporariamente nas áreas do Brasil e demais países prejudicadas por essas limitações operacionais.

Continuam normais as detecções de focos com outros satélites de órbita polar (NOAA-20, S-NPP, Metop-B e C, Terra, NOAA-19, NOAA-18) e geoestacionários (GOES-16, MSG-3) utilizados pelo INPE, bem como os demais produtos de monitoramento de queimadas disponíveis no Portal do Programa Queimadas.

O monitoramento do desmatamento não foi impactado por esse problema porque emprega outros satélites.