Você está aqui: Página Inicial > Informações > Aviso de Inclusão dos Focos SNPP-VIIRS
conteúdo

Aviso de Inclusão dos Focos SNPP-VIIRS

Os dados de focos de queima do sensor MODIS do satélite AQUA deixaram de ser gerados entre 31/março e 13/Abril/2022 devido a problemas técnicos, conforme divulgado pela NASA - ver nota explicativa neste link.
Por ser este o "satélite de referência", as séries temporais de dados do Programa Queimadas foram prejudicadas e neste contexto passamos a divulgar também as análises dos dados de focos do sensor VIIRs do satélite SNPP.
Desta forma, a página de "Situação Atual" e todas tabelas e gráficos quantificando os focos, apresentam agora adicionalmente os focos VIIRS que são gerados desde 2012. Os dois conjuntos de dados referem-se às passagens vespertinas dos satélites AQUA e SNPP, sendo que o VIIRS possui melhores resoluções espacial e radiométrica, resultando na detecção de mais focos.

Para melhor compreensão da relação entre as duas séries de dados, são apresentados ao final da página gráficos comparando o número de focos de queima MODIS e VIIRS e mostrando a correlação entre as séries para qualquer região selecionada pelo/a usuário/a.

Comparação das detecções dos satélites AQUA e SNPP

Devido às diferenças nas especificações e características dos sensores a quantidade total de pixels de fogo ativo sensibilizados em cada passagem é significativamente diferente entre os satélites. No entanto, como pode ser observado na Figura abaixo, os gráficos de correlação no período de mais de dez anos que ambos os satélites estiveram em operação simultânea, nota-se que o coeficiente de correlação R2 é alto, ~0.99, para qualquer ano, o que indica que a capacidade de detecção é linearmente proporcional.


 

Brasil e demais países da América do Sul:



Na tabela abaixo são apresentados apenas os coeficientes de correlação para outras áreas, com o propósito de mostrar que esta correlação se mantém para outras regiões.




 

Estados do Brasil:



Na tabela abaixo são apresentados apenas os coeficientes de correlação para outras áreas, com o propósito de mostrar que esta correlação se mantém para outras regiões.



Portanto, embora as quantidades de focos de queima detectados pelos sensores MODIS e VIIRS seja diferente, elas são altamente correlacionadas, permitindo assim a composição de séries com os dois conjuntos de dados, desde que devidamente ajustados. Cabe também ressaltar que a comparação ao longo do tempo utilizando apenas um dos satélites é válida e pode ser utilizada para gestão das atividades de monitoramento, planejamento e combate do fogo na vegetação.